Carregadores paralelos levam o dobro do tempo para energizar aparelhos de celular

Um levantamento da PROTESTE concluiu que carregadores de smartphones e tablets paralelos, ou seja, marcas oficiais, mas que não as originais da fabricante do dispositivo, não são um bom negócio para o usuário. Devido à sua defasagem na entrega de energia, esses carregadores podem levar até o dobro do tempo para recarregar completamente um dispositivo, embora o preço cobrado ainda seja relativamente alto nas lojas.

Os testes realizados levaram em consideração os valores da corrente de saída (output) dos carregadores paralelos. Algumas marcas, como Geonav e Multilaser, ficaram em último e penúltimo lugares, respectivamente, ao trazerem correntes no valor de 0,74 e 0,65 ampéres, apesar de suas embalagens prometerem valores maiores (3,4 e 2,1 ampéres). No caso da Geonav, a diferença de preço (R$ 11,20 de economia em relação a um carregador original) não compensa as mais de três horas das quais o aparelho deverá passar plugado na tomada para atingir a recarga completa. A PROTESTE não informou qual modelo de smartphone utilizou em seus estudos.

A associação ainda observou que os produtos com mais de uma entrada USB, ou seja, que carregam dois ou mais celulares ao mesmo tempo, disponibilizam as correntes já divididas e direcionadas para cada uma delas. O correto, porém, seria que elas só se dividissem no caso de o consumidor carregar mais de um smartphone ao mesmo tempo. De qualquer forma, o mínimo esperado era que pelo menos 1A fosse direcionado para cada saída, o que, de acordo com o teste, não acontece.

Fonte: Canaltech

https://canaltech.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *